sábado, 21 de agosto de 2010

É possível anular um batismo feito na Igreja católica?


Prezado Frei, preciso anular meu batizado, que foi um sonho realizado há 4 anos atrás. Tenho 34 anos e a madrinha que escolhi se esconde através da igreja, uma vez que sempre seguiu outra religião inaceitável para mim, além de só enaltecer o mal e os "sacrifícios". Preciso anular esse batizado para viver em paz, pois carrego este peso e estou depressiva em função disso. Preciso tirar esse vínculo da minha vida. Por favor, me ajude, me oriente! O que faço? Poderei fazer catecumenato novamente para outro batismo? Quais são as minhas chances de anular este batismo?

O batismo na água e no Espírito Santo é a porta de entrada e o fundamento de todos os sacramentos da Igreja. O batismo pela água, ou ao menos pelo desejo, é necessário à salvação (Jo 3, 5; Mc 16,16). O batismo de desejo compreende também o martírio (batismo de sangue, cf. MT 10, 32; 16, 25). Liberta o ser humano de todos os seus pecados, inclusive do pecado original. Regenera espiritualmente o ser humano e lhe constitui filho de Deus, através da Graça (Rm 8, 15; 2Pd 1, 4).

Do ponto de vista teológico-jurídico, os sacramentos são direitos de um povo que é sacerdotal pela própria natureza (cânon 835). Resulta daí que todos os fiéis cristãos participam, cada um no exercício que lhe é peculiar, do múnus de ensinar, santificar e reger da Igreja. Pelo batismo, que é o portal dos demais sacramentos, todos integram o sacerdócio comum de Cristo. Nessa perspectiva, o fiel cristão é inserido nesse sacerdócio e por conseguinte, passa a ser sujeito de direito fundamental aos demais sacramentos, instituídos por Cristo e organizados pela Igreja.

O Código de Direito Canônico é taxativo, quando afirma que “os ministros sagrados não podem negar os sacramentos àqueles que os pedirem oportunamente, que estiverem devidamente dispostos e que pelo direito não forem proibidos de os receber”(cânon 843, § 1). Em outras palavras, é uma obrigação (dever) dos ministros sagrados, que corresponde a um direito da parte dos fiéis cristãos. A obrigação, por outro lado, é um dever de justiça, sobretudo aos ministros encarregados na cura de uma comunidade.

Configurando a questão apresentada pela internauta, o Código da Igreja afirma o seguinte:
“§ 1. Para que uma criança seja licitamente batizada, é necessário que: 1° - os pais, ou ao menos um deles ou quem legitimamente faz as suas vezes, consintam; 2° - haja fundada esperança de que será educada na religião católica; se essa esperança faltar de todo, o batismo seja adiado segundo as prescrições do direito particular, avisando-se aos pais sobre o motivo. § 2. Em perigo de morte, a criança filha de pais católicos, e mesmo não-católicos, é licitamente batizada mesmo contra a vontade dos pais” (Cânon 868).

Como se percebe no presente texto, deve haver o consentimento dos pais, ou dos responsáveis pela criança, para que ela seja batizada na Igreja. Contudo, a norma não limita a questão aos dois genitores da criança. O texto afirma que podem ser os pais, ou ao menos um deles... Significa que prevalece o direito ao batismo, mesmo que uma parte não concorde com o mesmo.

Em relação aos padrinhos do batizado, o cânon 874 do nosso Código apresenta os seguintes requisitos:
1) Que sejam idôneos para exercer essa função;
2) Que sejam designados pelo próprio batizando, pelos pais, pelo pároco ou pelo ministro;
3) Que tenham 16 anos de idade completos;
4) Que sejam católicos, já crismados e tenham feito a primeira Eucaristia;
5) Que não sejam passivos de penas canônicas;
6) Que não sejam o pai ou a mãe do batizando.

É importante recordar que o Código admite “um só padrinho ou uma só madrinha, ou também um padrinho e uma madrinha”(cânon 873). Em base a esse cânon, onde a realidade ecumênica for possível, se pode, por exemplo, colocar um padrinho católico e um padrinho de outra religião cristã, desde que concorde com a parte católica, sem o prejuízo da educação na fé do batizando. Nesse caso, a parte acatólica não é um verdadeiro padrinho, mas funciona como testemunha do batizado.

Na praxe pastoral, acontecem casos como esse em que os pais ou os próprios batizados estão arrependidos com os padrinhos. Daí, perguntam: - Frei, a gente pode anular, ou arranjar outros padrinhos? Infelizmente, a resposta é negativa. O cânon 872 deixa aberta a possibilidade de não haver padrinhos, quando diz que: “Ao batizando, enquanto possível, seja dado um padrinho, a quem cabe acompanhar o batizando adulto na iniciação cristã e, junto com os pais, apresentar ao batismo o batizando criança”.

Os padrinhos, se convidados, podem ajudar no cumprimento das obrigações essenciais do batizado. Porém, não lhes são essenciais. Além do mais, na maioria das vezes os padrinhos são uma espécie de arranjo, um status social, para dar presentes ao batizando e para cumprir ou devolver favores entre as famílias. Do ponto de vista da ajuda no cumprimento das obrigações cristãs, pouco ou quase nada fazem. E por último, seria ridículo ter que fazer outra celebração (re-batismo) e, sem contar, que os nomes dos padrinhos, se houver, já estão registrados no Livro de batismos e não podem ser cancelados.

Voltando ao caso, de acordo com o cânon 845, § 1, os sacramentos do batismo, confirmação e ordem, já que imprimem caráter, não podem ser repetidos, porque revestem o ser humano de Cristo (Gl 3, 27), tornando-o membro de seu Corpo (1Cor 12, 12-13), constituindo-o em Povo de Deus.

Em base ao exposto, conclui-se que o batismo imprime caráter e, por isso, não pode ser repetido, salvo restando se foi inválido pela própria natureza (batismo realizado numa Igreja não aceita pela Igreja Católica). A responsabilidade do batismo de crianças recai sobre os pais ou responsáveis pelas mesmas. Mesmo que haja o consentimento somente de um dos genitores, o batismo seja administrado e não pode ser cancelado. Também não se pode anular os padrinhos, ou um deles, uma vez que o Código admite a possibilidade de não convidá-los. Porém, uma vez convidados, enquanto testemunhas do ato e enquanto corresponsáveis em tutelar a fé da criança batizada, a resposta da Igreja é: nem o batismo válido pode ser deletado, nem os padrinhos.

Aconselhamos a internauta a trabalhar melhor a sua fé, para que o seu batismo seja fecundo e continue produzindo o seu efeito, não obstante a sua negação e a dos padrinhos. E que o Espírito do Senhor a ajude a contornar esta situação em busca de melhores dias, pelo perdão e pela misericórdia de Deus diante de pessoas que nem sempre cumprem a sua função no testemunho da fé, esperança e caridade.

43 comentários:

Anônimo disse...

boa tarde e verdade que os antigos dizem que praga de madrinha pega elas tem estes poderes de rogar pragas para seus afilhados e pegar eu gostaria muinto de trocar os padrinhos de meu filho pois a madrinha roga pragas e de religião e nao traz uma boa energia o que fazer.

Isabella disse...

Meu padrinho faleceu a 14 anos, e eu o amo muito. Jamais pensaria em troca-lo. Já a minha madrinha, desde o falecimento do meu padrinho nós não nos damos bem. Hoje foi a gota d'agua para eu perceber que quero anular esse batismo. Começando pelo fato de que fui batizada com 1 ano de idade, e hoje não sou católica.
Vou procurar um advogado pra falar sobre isso, pois não creio que não seja possivel anular um batismo! Se casamentos que são feitos com o concentimento de ambos são anulados, como um batismo que foi feito sem meu concentimento eu não posso anular?
Obrigada pela atenção, e por favor me responda por email.

Anônimo disse...

O padrinho de meu filho quis estrupar minha esposa, e ele vai ter que conviver com esse nome em todos os seus sacramentos.

Veroneze disse...

Gostaria de saber se no direito canônico me dá a liberdade de batizar o meu filho em qualquer comunidade ou paróquia, por exemplo, um Santuário que não tenha os documentos necessários para batiza-lo mas eu fazer parte do mesmo por 15 anos, gostaria muito de batiza-lo, existe alguma lei no direito canônico que permita que faça lá, sendo que deveria fazer os documentos na paróquia mais próxima?

Anônimo disse...

Gostária de saber se posso anular meu batizado. Não suporto meus padrinhos, além de tudo minha madrinha adora me chamar de burra, imbecil, débil e outras coisas absurdas. Eles vem na minha casa, para falar dos seus próprios filhos, e dos outros afilhados. Gostam de falar mal da família, perturbam a vida dos vizinhos. Tenho 33 anos, e cheguei no meu limite, já pensei em mudar até de religião devido a estes dois inuteis na minha vida. Bom se não houver maneira, terei que mudar de religião, ou ir embora da casa de meus pais.

wedja disse...

a 2 anos a madrinha de minha filha ñ fala com migo e se quer olha para ela. ela é minha vizinha! ñ tenho poblemas com o padrinho pois é meu irmão e ama muito ela. gostaria muito ouvesse uma forma de trocar a madrinha pois se é impossivel como vcs dizem então q pelo menos tivesse uma forma de se chamar atenção dessa pessoa que negligencia o afilhado.

Anônimo disse...

https://www.facebook.com/group.php?gid=118430824841302&ref=ts

Fabiana disse...

Gostaria de saber se posso anular o bastismo do meu filho mais velho, pois o padrinho que também é tio vem mostrando uma pessoa sem principios, me arrependo profundamente de te-lo escolhido para padrinho, ele não tem nenhuma condições de ensinar, santificar e reger da igreja, não é uma pessoa idônea para exercer essa função, não quero que meu filho tenha nem convivio, mesmo já tendo o parentesco sanguineo.

Anônimo disse...

Queria anular meu batismo tbm, pois hj sou um ATEU, quando me batizaram eu nem sabia falar, tem como desfazer tal processo? Grato

Anônimo disse...

Gostaria de saber se eu batizei meu filho em um estado, posso batizálo em outro? Pois quero anular o batizado do meu filho; pois minha cumadre é o terror em pessoa, mas só se mostrou assim após batizar meu filho; por favor me ajudem!!!!! Gostaria muito que fosse possível anular o batizado do meu filho...

Anônimo disse...

ola, boa tarde eu tenho 12 anos e so agora e que percebi que tenho uma madrinha muito ma e que me odeia.

Anna disse...

Boa tarde,Frei.
gostaria de saber se há possibilidade de anular o batizado do meu filho,já que dei para a minha sogra batizá-lo (salvo que ela não é a avó biológica do menino e faz questão de ressaltar isso.) Como não há vínculos com a criança e ela o destrata sempre que pode,gostaria de escolher pessoas que realmente o amem,pois no meu leigo entendimento,padrinho e madrinha são os segundo pais e na falta da mãe,seria a madrinha a assumir a responsabilidade da criação,correto??? Aguardo respostas...

Claudio - augmed@yahoo.com.br disse...

Frei, boa tarde!

Somos pais de uma criança que foi adotada por nós quando já estava para completar 3 anos. Sabemos que ela foi batizada em momento de perigo de vida. Mas não sabemos quem são seus padrinhos e não temos nehuma informação de qual paróquia foi batizada. No processo de adoção trocamos o nome de nosso filho passando ele a ter um novo registro cível.
Pergunto ao senhor: podemos batizá-lo novamente?
Obrigado se puder responder.

Anônimo disse...

tenho como cancelar o batisterio da minha filha pois a madrinha e amante do meu marido tentou me matar com magia negra e minha filha sabe de tudo e odeia a madrinha.

Patricia disse...

Cara Bispo minha fillha de apenas 4 anos foi batizada sem o meu consentimento nem mesmo conhecimento nao escolhi os padrinhos e uma delas nao conheço nao faço parte da religiao catolica apezar de ser crista ela nao estava doente nem era caso de morte nao me informaram nem o dia me sinto ultrajada pela igreja pois quando tentei batizar minha outra filha fui impedida pois nao era casada e agora meu ex marido batizou a mais nova sem o meu consentimento nao consigo entender o que vcs querem um dia nao pode uma coisa no outro pode uma das madrinhas de minha filha coabita com o pai dela e eu mal sei o primeiro nome dela preciso saber como anular este batizado apesar de ter lido que nao pode,digo que para toda lei existe uma jurisprudencia e a lei do homem deve ser respeitada assim diz a Palavra do nosso SEnhor me respondam esta questao pois realmente nao aceito e se nessessario irei ate roma.

Juliana disse...

Minha filha foi batizada com consentimento de ambos os pais. Mas desde o batizado, os padrinhos tem atitudes incoerentes e com maldades, nem sequer lembram que exista uma afilhada. Eles foram batizados e crismados e recebeu a primeira eucaristia. Hoje eles não são católicos e algumas formas de educação na religião, eles não concordam. Gostaria de saber se mesmo assim não teria como pedir a anulação do batizmo?

Anônimo disse...

Boa tarde, gostaria de uma ajuda... Meu filho e' registrado pelo pai, mas nao tem contato com ele. Meu filho e' criado pelo meu atual mariado ( nao no papel), Ele pode ser batizado pelo meu marido?
obrigada.

Doce Encanto Festas disse...

Bom dia, sou batizada e tenho um desejo enorme em cancelar meu batismo, pois tanto meus pais de criação quando aos meus padrinhos não cumprem o seus papeis de católicos perante a mim, há mais de 10anos que não os vejos e não me procuram pra saber como estou. Na minha infância sempre foram distantes de mim. Quero um padrinho que participe da minha vida, que seja presente, que fale comigo.... Preciso de ajuda não vivo mais em paz com a minha família devido a essa situação ...

Jr Mota disse...

A mãe da minha filha batizou minha filha sem me avisar há 8 meses, e como somos separados tínhamos um acordo de que eu escolheria o padrinho e ela a madrinha, e como não foi cumprido o acordo aparte jurídica eu já sei, gostaria de saber da parte da igreja, esse batizado é válido? pois não teve o meu consentimento?

Frei Marcos Prado e Frei Rodrigo disse...

Resposta ao Cláudio, que perguntou:

"Frei, boa tarde! Somos pais de uma criança que foi adotada por nós quando já estava para completar 3 anos. Sabemos que ela foi batizada em momento de perigo de vida. Mas não sabemos quem são seus padrinhos e não temos nehuma informação de qual paróquia foi batizada. No processo de adoção trocamos o nome de nosso filho passando ele a ter um novo registro cível. Pergunto ao senhor: podemos batizá-lo novamente? Obrigado se puder responder".

Olá, Cláudio. Somos Frei Marcos Prado e Frei Rodrigo, estudantes de teologia do Instituto Teológico Franciscano de Petrópolis e tentaremos responder sua questão.

Esta é uma situação singular. Analisemos o caso: você tem a certeza de que seu filho já foi batizado, muito embora não tenha as informações completas que registrem o recebimento deste sacramento. Seu filho fora batizado em situação de perigo de morte, seguindo o cân. 867 §2 ou, no caso de pais não-católicos, segundo o cân. 868 §2. Ao que me parece, sua dúvida reside no fato de, pelo fato de seu filho ter mudado seu nome civil, possuindo um novo registro que não consta nos livros de qualquer igreja, se ele estaria apto a receber novamente o sacramento do Batismo, mesmo que no registro passará a constar apenas uma das celebrações.

Esta é uma questão de foro jurídico apenas, não mudando o fato de que o Batismo é um sacramento que confere um caráter indelével, que não pode ser apagado (segundo cân. 849) e, por isso, não requer uma outra celebração que o confirme. Nenhuma pessoa que tenha sido batizada pode receber o sacramento novamente (cân. 864). Então, não importa o fato da mudança do registro e nome civil de seu filho, pois a eficácia do sacramento não está no registro civil, mas na pessoa.

Agora nos voltemos ao fato de você não ter encontrado os registros do batizado de seu filho em nenhuma paróquia. Rege o cân. 869 §1 que se houver dúvida se alguém foi batizado ou não, e após uma séria investigação, o batismo pode ser conferido sob condição. O mesmo ocorre se o batizado foi realizado por outra comunidade eclesial não-católica cujo Batismo não seja reconhecido pela nossa Igreja. Se você recorreu a todas as paróquias próximas do local onde seu filho nasceu e não encontrou registro da celebração do Batismo, então ele estaria apto para ser batizado sob condição, ou seja, um Batismo válido se, e somente se, ele não tiver sido batizado validamente anteriormente.

Vale notar que, mesmo que você não tenha encontrado nenhum registro do Batismo de seu filho, se você encontrar uma testemunha idônea da celebração do sacramento, este valerá de prova da administração do batismo, segundo rege o cân. 876, podendo ser, então, registrado no Livro de Batismo de sua paróquia.

Estudantes de Teologia disse...

Sr. Junior somos estudantes de Teologia do Instituto Teológico Franciscano (ITF) Petrópolis/RJ e estamos analisando o seu caso. De acordo com o cânone 868 §1- 1° basta que apenas um dos pais consinta o batismo para que este tenha validade, ou seja, não há nada de ilegítimo no batismo de sua menina. Ademais, sua ex esposa pelo que entendemos é quem possui a guarda da criança, fazendo dela total responsável pela mesma!
Não se pode esquecer ainda, Sr. Junior que no momento do Batismo, sua menina foi Ungida pelo Espírito Santo, sendo esta unção inalterável e irrevogável!
Este Batismo é válido, lamentamos.
Por Frei Marcel Freire e Semyramys Frossard.

Anônimo disse...

Olá Sr. Cláudio,
Somos estudantes de Teologia do Instituto Teológico Franciscano (ITF) em Petrópolis/RJ e estamos analisando o caso do seu filho.
Pelo que nos consta, assim que é realizado um batismo seja este em perigo de morte ou não, o mesmo passa a ter validade. Contudo, este deve ser registrado assim que possível.
De acordo com o cânone 877 §1 se faz necessário (sem demora e cuidadosamente) o registro no livro dos batizados da paróquia onde foi realizado o batismo. Sendo este, a principal prova do registro. Ademais, no cânone 876 basta a declaração de apenas uma só testemunha acima de qualquer suspeita e que não advenha prejuízo para outrem para que este seja válido.
A alternativa encontrada em nossos estudos é que se há a informação desse batismo (em perigo de vida) e o senhor tomou conhecimento, há uma testemunha. Ou seja, a opção é de que essa testemunha de fé seja contactada e assim forneça seu testemunho.
Não se pode esquecer, Sr. Cláudio que no momento do Batismo, seu filho foi ungido pelo Espírito Santo, sendo esta unção inalterável e irrevogável, isto é, esse batizado se torna para a vida inteira!
Frei Marcel Freire e Semyramys Frossard

Anônimo disse...

Sr. Mota, somos estudantes de Teologia do Instituto Teológico Franciscano (ITF) Petrópolis/RJ e estamos analisando o seu caso. De acordo com o cânone 868 §1- 1° basta que apenas um dos pais consinta o batismo para que este tenha validade, ou seja, não há nada de ilegítimo no batismo de sua menina. Ademais, sua ex esposa pelo que entendemos é quem possui a guarda da criança, fazendo dela total responsável pela mesma!
Não se pode esquecer ainda, Sr. Junior que no momento do Batismo, sua menina foi ungida pelo Espírito Santo, sendo esta unção inalterável e irrevogável!
Este Batismo é válido, lamentamos.
Por Frei Marcel Freire e Semyramys Frossard.

Anônimo disse...

VERONEZE:
Pelo Batismo somos incorporados na Igreja Corpo de Cristo e dela nos tornamos pedras vivas, ou seja, o Batismo também exige de nós um compromisso para com a Igreja. Participando do corpo de Cristo somos também convidados a construir o seu Reino com nosso trabalho e participação. O direito canônico recomenda que o batismo seja feito no território da paróquia dos pais do batizando(quando criança) ou na paróquia que o batizando adulto participa (cf. Cân.857), Portanto, se a família frequenta este santuário e alí exerce sua participação ativa, aconselhamos procurar o pároco do santuário do qual participam para que se realize o Batismo.

Estudantes de teologia:
Fr. Jean Ajluni, ofm
Fr. Jacó Paiva, ofm

Anônimo disse...

De acordo com o Código de Direito Canônico (tipo o Código Civil eclesiástico), para se abandonar formalmente a Igreja Católica e deixar de fazer parte do número de fiéis apresentado anualmente pelo Vaticano, é necessário um requerimento formal, um “ato de apostasia”. O ato formal de renúncia à Igreja Católica é anotado no seu registRo de batismo e impede que você seja mais um ou uma “fiel” nas estatísticas anuais do Vaticano.

Sugere-se que o interessado ou interessada apresente o requerimento e acompanhe o processo pessoalmente. Nos casos em que tal se não mostre possível, o requerimento poderá ser enviado à paróquia competente, por carta registada com aviso de recepção. Nestes casos, é aconselhável enviar também um envelope selado e endereçado ao/à requerente, por forma a que a certidão comprovativa da realização do ato de apostasia seja posteriormente remetida de volta. Deve fazer-se menção ao referido envelope nos “Anexos” a enviar juntamente com o requerimento.

Carta de Apostasia.

Anônimo disse...

Estou passando por uma situação difícil: batizei minha filha =, com 1 mês e 10 dias de vida. Meu marido que escolheu um casal, que tínhamos bastante contado à epoca e que me servia de exemplo, sempre. Inclusive, o padrinho é primo do meu pai. Achei por bem aceitar, pois estava na família, apesar de tê-los acabado de conhecer. POis bem, anos se passaram e o contato com minha filha foi se perdendo. Nada de comparecer aos aniversários, nada de visitas. Eu que sempre a levava à casa deles, pra que o laço fosse mantido. Bem, há poucos dias, por um angano, uma má interpretação, ou qual motivo que seja, a madrinha me acusou de estar tendo intimidades com o marido dela, o padrinho. Ligou para o meu marido e insinuou tal fato. Há varios anos o casal está desestruturado e deixam claro que a separação não se concretiza porque não querem dividir os bens. Vivem um inferno e nenhum dos dois tenta reverter a situação, fazendo com que vivam em um lar saudável. Brigam sempre, com confusões de baixarem em delegacia. Ela o deixa rente com o chão ao mencionar seu nome para seus familiares, o critica de diversas formas que, parece que o vilão é ele. Há casos inclusive de traição por parte dele, confessada a mim, numa de nossas conversas, pois ele, eu e meu marido, parecíamos amogos, até o ocorrido das insinuações de que eu fosse adúltera. Pois bem: qual o exemplo esse casal pode dar a minha filha, que hoje está perto de completar 12 anos, já uma pré-adolescente, fase de descobertas que, se não for bem orientada, pode estragar com o resto da sua vida? O que será dela na falta dos pais, já que não há possibilidade de contato com os padrinhos, em virtude dos últimos acontecimentos? Havia pensado em solicitar, até mesmo no Vaticano, a possibilidade de anular o batizado....existe algum caso de êxito nessa solicitação? Gostaria muito de saber pois não vejo saída pra esse caso. Já são muitos anos de tentativas pra que eles vivam bem mas ela, a madrinha, é uma pessoa muito difícil, não são exemplo pra ninguém, suas atitudes.

Anônimo disse...

Boa Noite..Frei por favor me responda com urgencia..gostaria de saber se posso anular o batismo de minha filha, ela ja tem 9 aos e foi batizada qdo tinha apenas 9 meses..Os padrinhos delas sao minha irma e meu ex-cunhado.Frei eles foram escolhido,pois na epoca ela havia comentado que gostaria de ser madrinha e acabamos aceitando.Frei o problema e que eles se separam a alguns anos, pois ele e um adultero, traiu minha irma, varias vezes,depois da separacao ele virou Testemunha de Jeova e se casou novamente, e renegou minha filha, diz que nao tem afilhada pois nao acredita nessas bobagens,alem de ter sido uma pessoa muito ausente na vida de minha filha.Em relacao a minha irma, nao nos falamos a muitos anos,pois ela tbm varias vezes renegou sua afilhada, hoje ja faz 4 anos que estamos morando fora do brasil e ela nunca quis saber de minha filha,nunca pergunta p/meus familiares dela, e sempre que ve foto da mesma a repudia, fazendo cara feia.Os Padrinhos de consagracao tbm nao tive sorte, pois escolhemos tbm minha irma e cunhados, por serem catolicos,estarem sempre na igreja,serem servos da igreja.Porem Frei qdo mais precisamos deles Eu e minha filha tivemos a frustacao,meu marido precisou viajar primeiro p/a Italia e depois viemos Eu e minha filha,precisei ficar na casa de minha irma durante 4 dias ate o dia da viagem, porem Frei apos eu viajar, um certo dia eles resolveram cobrar de meu marido a nossa estadia, dizendo que minha filha comeu do bom e do melhor e eles gastaram muito,cobraram de nos 380.00 reais,por tudo..e tivemos que pagar, mesmo sabendo que era um absurdo,mas pagamos, td isso foi acompanhado pelos meus pais e familiares,todos sao testemunhas.No dia do Batismo eu comprei dois quadros de Nossa Senhora de Fatima, pois sou devota de Nossa Senhora a anos e demos de presente p/os dois casais um p/cada um, foi uma forma de agradecer o Batismo e os dois se disfizeram dos quadros, renegaram ate Nossa Senhora, um dos padrinhos deu o quadro p/outra pessoa e o outro simplismente perdeu o quadro numa mudanca,isso p/mim foi uma tristeza muito gde. alem disso tbm renegaram minha filha,varias vezes,ate hoje nunca quiseram saber como ela esta, nunca mandou mensagem ou se quer perguntam dela p/minha familia.Frei minha filha comecou a fazer catequese agora e fica me perguntando muitas coisas e eu nao posso responder,ela nao aceita de forma alguma eles como padrinhos, nao quer se quer colocar o nome nos documentos da igreja qdo solicitados,fica me perguntando porque todas as amigas tem madrinhas que adoram e ela nao,pergunta porque eles nao gostam dEla, o que Ela fez de mal a Eles p/tratar Ela assim, isso me corta o coracao, me dixa realmente culpada por ter escolhido tao mal os padrinhos de minha filha.Frei eu fui batizada com 9 anos e eu mesmo escolhi meus padrinhos, e eu fui muito abencoada pois foram uns verdadeiros Pais p/mim,sempre me ajudaram no que puderam, eu os amo muito, hoje os dois sao falecidos e sinto muitas saudades.Por isso Frei preciso dar a minha filha pessoas dignas de ela chamar de padrinhos e o que ela mais quer agora e ter padrinhos para conversar,enviar mensagens,dizer as amigas,td isso ta deixando Ela muito triste e eu tbm.Ela disse que se nao puder mudar essa situacao vai deixar de ser catolica qdo crescer, e vai deixar de acreditar em td que ensinei ela ate hoje..Por favor deve haver alguma maneira de eu daruma alegria p/minha filha pois creio que isso e p/vida toda,padrinhos na minha opiniao sao muito importantes.Por isso lhe imploro responde minha pergunta.Muito obrigada, fiquem com Deus e que Ele possa iluminar seu coracao qdo for me responder.

Maria Machado disse...

PREZADO FREI IVO, BOA TARDE.. PRECISO DE UMA Orientação DE COMO AGIR... MEU MARIDO E EU BATIZAMOS UMA Criança A QUAL CUIDÁVAMOS DESDE O 47° DIAS DE VIDA E Já HAVÍAMOS DADO ENTRADA NOS DOCUMENTOS EXIGIDOS POR LEI PARA A Adoção DESTE,MAS, POR UMA UMA NORMA DA LEI TERÍAMOS Também DE ADOTAR O IRMÃO MAIS PRÓXIMO O QUE PARA Nós POR UM SERIE DE RAZOES SERIA INVIÁVEL E;ELES TERMINARAM POR SEREM ADOTADOS POR OUTRA FAMÍLIA...QUE NÃO FAZ QUALQUER TIPO DE CONTATO PARA QUE COMO PADRINHOS PUDÉSSEMOS ESTAR ACOMPANHANDO MESMO à DISTANCIA, A Formação DE NOSSO AFILHADO. VALE RESSALTAR QUE ESTE, NOS SEUS; ANO E MEIO DE VIDA Já NOS RECONHECIA COMO PAI E MÃE E Nós O TÍNHAMOS COMO NOSSO FILHO AMADO.. PENSAMOS Até, QUE TENHA SIDO O MELHOR PARA ELE E O IRMÃO... MAS SOFREMOS SEM PODERMOS VE-LO...PORISSO GOSTARÍAMOS DE SABER SE, NO DIREITO CANÔNICO HAVERIA ALGUMA CLAUSULA QUE CONFIRA AOS PADRINHOS DIREITOS DE ACESSO AO AFILHADO. QUEREMOS DEIXAR CLARO QUE, DE FORMA ALGUMA PRETENDEMOS INTERFERIR NA Relação; PAIS E FILHOS, E TAO SOMENTE VISITA-LO, VE-LO E, TAMBéM à SEU IRMÃO SEM CAUSAR QUALQUER TRANSTORNO à FAMÍLIA. NOS AJUDE FREI ...PEDIMOS POR FAVOR...MOSTRE-NOS UMA FORMA, UMA MANEIRA DE PODERMOS,MESMO QUE ESPORADICAMENTE ESTARMOS JUNTO AO NOSSO AFILHADO A QUEM TANTO AMAMOS. DESDE Já FICO GRATA E AGUARDO SUA RESPOSTA ... OBRIGADO... DEUS O ABENçOE

MANUEL ANTÔNIO disse...

MINHA FILHA, QUANDO NASCEU DEMOS ELA PARA MEU IRMÃO E A ESPOSA BATIZADA.
HOJE ELA ESTÁ COM 28 ANOS. E AS COISAS MUDARAM , OS PADRINHOS DELA ESTÃO ODIANDO ELA MUITO E A PREJUDICANDO EM TODOS OS ASPECTOS. ISSO É CERTO DENTRO DA NOSSA IGREJA CATÓLICA? O QUE PODEMOS FAZER PARA AMENIZAR TAL SITUAÇÃO?

sandra Porto disse...

Preciso de ajuda, quero desfazer um batismo. Será que isso é possível ? Meu filho tem 20 anos, e é afilhado do meu irmão, gostaria de pedir ao Vaticano a anulação deste batismo, por que simplesmente... O meu filho e o meu irmão não se suportam. Já falei, aconselhei e não tem jeito, eles não se gostam mesmo, a recíproca entre os dois é verdadeira. Já não sei mais o que fazer, quero escrever ao Vaticano e pedir ao Papa, mas não sei como proceder.Eles são tio e sobrinho, mas o vínculo deles com a Igreja católica (para mim) é muito sério. Nenhum dos dois é ligado à igreja ou religião, por isso eles não sabem da importância detes vínculo. Me ajudem em nome de Deus !
Meu e-mail para contato:
sandra-porto@live.com.pt

Nine Nunes disse...

Boa tarde! Gostaria de saber se minha filha pode ter um casal de padrinhos de batismo, 2 madrinhas de consagração e um padrinho de carrego.
Att, Aline faraht

alinefaraht@gmail.com

Anônimo disse...

Boa Tarde!!! Meu neto foi batizado sem o conhecimento e consentimento, do meu filho em relação aos padrinhos. Gostaria de saber se pode ser anulado? A mãe da criança tem 16 anos e meu filho 17, e ele ficou indignado, isto aconteceu no mês de março/2013 e descobrimos através da internet por fotos. Obrigado

Anônimo disse...

Há 4 anos atrás escolhi meu irmão e minha cunhada para batizar a minha filha, que foi uma grande alegria. Hoje a minha filha tem 4 anos e 9 meses e a madrinha que eu escolhi para ela nunca esta presente em sua vida até mesmo no seu aniversário. No ano passado no seu aniversário ela nem ligou para desejar parabéns. Eu cresci com os meus padrinhos na minha vida e cresci vendo o sofrimento do meu irmão por falta de um padrinho que não lhe dava nenhuma atenção. Eu não quero isso na vida da minha filha. Preciso tirar esta angustia da minha vida. Por favor me ajude, me oriente!
O que faço? Poderei batiza-la de novo? Quais são as minhas chances de anular esse batismo?

Anônimo disse...

Gostaria de saber se a possibilidade de troca de padrinhos de um batizado, Os padrinho de munha filha sao duas pessoas de pessimo comportamento, A vida deles é regida em destruir o proximo prejudicando a todos, A alegria deles é o sofrimento do proximo, usando nomes influentes da cidade para tentar se auto promover, pesso que de uma atenção especial no fato em que relato caso contrario mandarei uma nota ao Ponticife.
Aguardo uma resposta em cima do canon que rege a autarquia.

Anônimo disse...

Escolhi os padrinhos errados pra meu filho,gostaria de saber se a possibilidade de anular o batizado.

Anônimo disse...

como faço para pedir um batistério?

Anônimo disse...

Os padrinhos do batismo de meu filho foram escolhidos por oportunidade e conveniencia ja que não havia outros em mente que pudessem ocupar o cargo. Hoje, após 4 anos, vejo o meu equivoco ja que ambos não seguem a Deus e nada contribuem para o fortalecimento espiritual de meu filho. Se a Igreja Católica não se flexibilizar quanto os equivocos cometidos pelos cristãos, vai perder fieis, como já está acontecendo. Tudo tem jeito e eu gostaria muito de entregar meu filho a novos padrinhos e cancelar o primeiro batismo. Fechando os olhos a Igreja perecerá.

Anônimo disse...

Sou católica triste, não sei o que faço, meus filhos não quiseram seguir minha religião. Quando eram pequenos que tinha a palavra sobre eles, frequentavam a igreja católica. Mais depois que cresceram e ficaram de maior seguiram rumos diferentes. A filha mais velha não quer frequentar a igreja, acha a igreja católica hipócrita. O meu filho caçula se converteu a uma igreja evangélica e é frequentador assíduo. Meu esposo também não quer frequentar a igreja católica, porque acha a religião católica muito enrolação. O que devo fazer, estou sozinha frequentando a igreja católica muito triste.
ASS. pessoa muito triste com esta situação.

Anônimo disse...

Por favor alguém diz o que devo fazer. Eu junto com meu esposo somos padrinhos de uma rapaz. Hoje ele já está com 18 anos e casado. Ao receber o convite p ser madrinha fiquei muito feliz, a final era o meu primeiro afilhado, meses depois a mãe decidiu escolher outros padrinhos pois alegava que eu não tinha nem uma condição financeira. Tempos depois ela teve suacasa assaltada onde não pode mascmas viajar para a realização do batizado, daí ela voltou atraz e pediu mas uma vez para eu ser a madrinha. Estava chatiada mas aceitei, afinal eu tinha cuidado do bebê até os três meses.
Foi entao q começou tudo dá errado. Presentes tinha q ser de lojas q ela tivesse conhecimento como coisa boa, caso contrário ela destruia na minha cara.
Tempos depois ela me proibiu de ver o menino alegando que eu era miserável que nao pagava casa de praia p comemoração do aniversário do menino.
Foi então que não procurei mais.
Esta semana o rapaz, no caso meu afilhado me procurou por meio de redes sociais , ppara saber porque eu havia abandonado. Falei toda a verdade. Ele nao acreditantando no a ru relatei passou a me defamar e fazer calunias sobre minha pessoa.
PERGUNTO: O QUE FAZER EM UMA SITUACAO DESSSA?
Pois tanto os o garoto quanto a mae acham que eu fui ausente poid tinha q ter criado como filho. E ter dado do bom e do melhor. So que não sou rica e venho de uma família humilde.
Ela quer qceu paguei o colegio, roupa, calcado.passeios, ate o gás.

Tenho outros afilhados mas até o momento esta todo bem

Seris possível anula o batismo para scabar com a insatisfação desse povo?

Junior disse...

Gostaria de saber como anulo meu batismo, não me sinto nem um pouco atraído pela vida religiosa pois esta já me causou muito sofrimento.
Não me interessa saber de reconciliações pois já tentei várias vezes sem sucesso.

Carlos Rezende disse...

Bom dia ,gostaria de maiores esclarecimentos ,ja entendi que seria impossível cancelar os padrinhos de meu filho . O grande problema é que o padrinho e madrinha do meu filho se tornaram pessoas de péssima índole,estão praticando o estelionato .Nós somos de uma família de princípios seguimos os mandamentos da igreja e somos cumpridores das leis do homem , nunca tivemos algum problema perante a justiça , e não gostaria que meu filho ficasse apadrinhado destas pessoas .

Grato

IARA NEVES disse...

PROCUREI UMA RESPOSTA,PORQUE ASSIM COMO TODAS ESSAS PESSOAS TAMBEM GOSTARIA DE ANULAR O BATIZADO DE MINHA NETA,NEM FAZIA IDEIA QUE TINHA TANTAS PESSOAS QUE ASSIM COMO EU ESTA INFELIZ,EU PERGUNTO NÃO ESTA NA HORA DA IGREJA REVER SEUS CONCEITOS,PORQUE NÃO REALIZAR O SONHOS DE TANTOS,PARA QUE POSSAM SER FELIZES,AFINAL DEUS É AMOR,UM PADRINHO OU MADRINHA MÁ E QUE NÃO GOSTA DO AFILHADO(A)NÃO MERECE ESSE TITULO TÃO IMPORTANTE.

Anderson Nascimento disse...

Olá padre, não fiz a primeira comunhão e não sou crismado entretanto batizei uma criança sem problema algum. O que prova que fui padrinho de uma pessoa?

Pelo que li no blog eu não teria condições de ser padrinho católico de ninguém e mesmo assim eu sou. Grato pela retorno