sábado, 19 de setembro de 2009

Padrinhos de Batismo e uniões irregulares


Gostaria de saber se um casal que vive numa união irregular na Igreja poderiam ser padrinhos no batizado de minha filha?

Algumas informações à guisa de resposta:

1. Tudo indica que a origem dos padrinhos de Batismo existe desde os primeiros tempos da Igreja, quando os pagãos se convertiam e recebiam o Batismo, e, com ele, a vida espiritual. Eram também denominados de pais espirituais, porque cuidavam da formação espiritual de seus afilhados. Além do mais, em época de guerra, poderiam substituir os genitores na dura tarefa de educar os filhos na fé cristã. No caso de neófitos (adultos recentemente convertidos a Cristo pelo batismo), os pais espirituais exerciam um preponderante papel no acompanhamento prático da doutrina católica. Isso era tão sério que chegavam a ser, na maioria das vezes, os mesmos padrinhos na Confirmação (Crisma).

2. No que se refere aos critérios da Igreja Católica Apostólica Romana para a escolha de padrinhos e madrinhas, A Introdução Geral do Ritual do Batismo de Crianças, n◦ 10, diz: “O padrinho e a madrinha tenham maturidade para desempenharem esse oficio; estejam iniciados nos três sacramentos da iniciação cristã, do Batismo, da Crisma e da Eucaristia; pertença à Igreja Católica e pelo Direito não estejam impedidos de exercer tal oficio. Todavia, um cristão batizado pertencente a outra Igreja ou comunidade separada, portador da fé de Cristo, pode ser admitido, ao lado do padrinho católico (ou madrinha católica), como testemunha cristã do Batismo, se os pais desejarem, consoante as normas ecumênicas estabelecidas para os vários casos”.

3. De acordo com o Código de Direito Canônico: “Ao batizado, enquanto possível, seja dado um padrinho, a quem cabe acompanhar o batizando adulto na iniciação cristã e, junto com os pais, apresentar ao Batismo o batizando criança. Cabe tam­bém a ele ajudar que o batizado leve uma vida de acordo com o Batismo e cumpra com fidelidade as obrigações inerentes”(cânon 872). Também é possível apenas um só padrinho ou uma só madrinha ou também um padrinho e uma madrinha (cânon 873). Em outras palavras, a escolha do padrinho é facultativa. Embora a maioria absoluta elege dois padrinhos (casal), seria perfeitamente possível, pelas normas da Igreja, apenas um padrinho ou uma madrinha.

4. Em relação ainda aos pré-requisitos na escolha, o padrinho e a madrinha devem ter 16 anos de idade (pelo menos), serem católicos, confirmados (ou crismados), tendo recebido o sacramento da eucaristia e levar vida de acordo com a fé e o encargo que vão assumir (ter coerência entre fé proclamada e vida diária); não se encontrarem atingidos por nenhuma pena canônica; que não seja pai ou mãe do batizando (cânon 874).

5. No que tange aos casais que vivem numa união irregular, o Catecismo da Igreja diz que “existe união livre quando o homem e a mulher se recusam a dar uma forma jurídica e pública a uma ligação que implica intimidade sexual” (Catecismo da Igreja Católica, nº 2390). O Catecismo condena este tipo de união, ao dizer que: “A união carnal não é moralmente legítima, a não ser quando se instaura uma comunidade de vida definitiva entre o homem e a mulher” (Catecismo da Igreja Católica, nº 2391). Conforme já abordamos em outra matéria deste blog, em conformidade com a doutrina da Igreja, a união carnal não é legítima, a não ser que se instaure um consórcio de vida perpétuo entre um varão e uma varoa. Tal relação é reconhecida pela Igreja, somente se houver o consentimento matrimonial, segundo as suas normas. Caso contrário, é uma união irregular.

6. Algumas dioceses colocam em seus diretórios diocesanos a proibição de quem vive numa união irregular para ser padrinho ou madrinha de Batismo. Por outro lado, um grande número de dioceses não vê problema nisso, avaliando apenas se os padrinhos fizeram o curso e se não pertencem a outras denominações religiosas. Também, quase ninguém se pergunta, se os padrinhos eleitos já fizeram a crisma e a primeira Eucaristia.

Em resposta à questão exposta, sem pretensão de fechar o argumento, sou do seguinte parecer:
Os padrinhos, a serem escolhidos, devem preencher os requisitos da idade (16 anos); serem católicos, já crismados, tendo recebido o sacramento da eucaristia, levando a vida de acordo com a fé e o encargo que vão assumir, não sendo atingidos por nenhuma penalidade canônica, porque tais critérios fazem parte das normas universais do ordenamento jurídico da Igreja e nisso não estamos autorizados a mudar a doutrina canônica. Porém, em relação à união irregular, naquelas dioceses onde isso não é colocado em modo explícito no seu ordenamento particular, que haja bom senso. Há muitos casais que vivem em modo irregular na Igreja, mas que são verdadeiros exemplos de vida na igreja doméstica (família) e na participação dentro da comunidade. Se houver uma avaliação mais criteriosa, muitas vezes são melhores que certos casais regulares (que contraíram matrimônio na Igreja) e que, no entanto, só aparecem na comunidade nestes momentos, como se fosse um ato social. Somado a este tipo de análise, sou ainda do parecer que a Pastoral do Batismo, ajudada pela Pastoral Familiar, possa também opinar na decisão dos padrinhos a serem escolhidos, junto aos pais dos batizandos. E que prevaleça a misericórdia do Bom Pastor sobre as normas, que nem sempre são fáceis de serem aplicadas objetivamente em cada caso que se nos apresenta.

48 comentários:

Adão disse...

muito interessante a matéria e muito esclarecedora. Gostaria de saber se o termo casais irregulares e pejorativo.

Anônimo disse...

Obrigado, esclarecedor e com referencias.

Sandra Assunção disse...

Eu gostaria de saber porque é que tendo tido uma educação católica, ou seja, sou baptizada, tenho a primeira comunhão, a comunhão solene (profissão de fé), e o crisma, me impedem de ser madrinha e exigem que seja apenas "testemunha"pelo facto de não ser casada pela igreja. Nota: não sou casada pela igreja porque o meu marido já o foi, no entanto no dia do baptizado do meu filho, o padre que me acompanhou no percurso todo até ao crisma renovou-me os votos na igreja. O que pretendem com isto? que as pessoas se revoltem e deixem de olhar para a religião com o sentimento que deveria de existir. Além do mais quem está a atender na secretaria das igrejas deve ser simpático e esclarecedor. Não deve estar ali com um ar antipático, de quem manda, põe e dispõe. E se eu fosse solteira? Já podia ser madrinha e não testemunha? Então quer dizer que ter educação católica ou não ter é a mesma coisa. Sou madrinha de duas crianças, uma fui em solteira, outra fui já casada, e até à altura nunca colocaram qualquer problema, nesta altura exigem que seja casada pela igreja. Por favor...isto é ridiculo. e se fosse divorciada?já podia ser? Ridiculo. DEPOIS NÃO QUEREM QUE AS PESSOAS SE AFASTEM.

Alexandra disse...

Concordo com você.Estou passando por isso no momento,sou casada a 13 anos,mas só no civil,e não consigo marcar a cerimonia de batizado para meus dois afilhados.Se for pra seguir esse caminho,deveriam proibir o casamento só no civil,assim,todos casariam no civil e na igreja e resolviam logo esse problema.E tem mais porque o valor absurdo para realizar um casamento,mais de 1.000 reais...Ai perguntão porque ninguém quer mais casar na igreja.

Anônimo disse...

Quero batizar meu filho..só que escolhi padrinhos que sao evangelicos!
Eles mudaram de religiao..antes eles eram catolicos..fizeram 1ªcomunhão..crisma..eles nao sao 'crentes fanaticos'
Entao queria saber se eles nao podem batizar meu filho numa igreja catolica..e eles ja fizeram o curso de batizado!

Anônimo disse...

Parece que alguns comentadores querem mudar as Leis da Igreja.

Um quer padrinhos de outra denominação cristã- então para que quer os padrinhos?? Os padrinhos é para seguirem a nossa religião dentro da Igreja Católica.

Outros que não estão em situação regular querem ser padrinhos- mas se estão a viver em pecado, como querem ser bom exemplo para os seus afilhados?? A parte espiritual, a comunhão eucaristica... têm de ser exemplo.

A Sandra Assunção questiona muito, mas poderia tentar pedir a nulidade junto do Tribunal Eclesiástico (caso houvesse razões para isso) do matrimónio do actual marido para ela e ele poderem um dia casar pela Igreja e estarem segundo a vontade de Deus. Se não conseguir a nulidade o ideal era viverem como irmãos.

Claro que os filhos de quem esteja em situação irregular podem e devem ser baptizados.

é diferente ser solteira ou casada pelo civil. É diferente ser divorciada do estar junta. O presente é que conta! Não o passado ou o futuro.

Devem ser padrinhos para servirem, para ser úteis. Não para complicar. Descompliquem primeiro suas vidas para poder ajudar os outros.

Fazer a vontade de Jesus é o que conta!
PAX!
Rodrigo

Anônimo disse...

Meu filho ira nascer a semana que vem e estou pensando quem ira batizar. Tenho a minha cunhada que não e casada, e seria com o meu cunhado, mas fiquei sabendo que existe além destes, a figura de testemunha no batismo. Isso existe mesmo? Como funciona? Pois da mesma forma que o pai quer que a irma dele seja madrinha, quero que a minha irma tambem seja. Agradeço pela atençäo. Camila

Anônimo disse...

Irregular pela igreja seria não ser casado na igreja?? Eu ja ouvi falar que um casal de namorados por exemplo se eles batizam ou são padrinhos de casamento e ainda não são casados na igreja o casal acaba se separando do nada, então é melhor prevenir...

Andreice disse...

A verdade é que as pessoas querem batizar seus filhos por uma simples satisfação á sociedade, coisa que o matrimônio vem se tornando faz um tempo. Muitas vezes até dizem que vão batizar porque a criança leva muito susto dormindo... Batismo é um sacramento!!! E só devem fazê-lo quem é católico mesmo, que segue a doutrina da igreja sem querer contestar.

Anônimo disse...

Pergunto.
Onde no Codigo Canonico esta escrito que para ser padrinho de batismo é necessario estar CASADO? Pelo que vejo em muitos existe a exigencia do Padre, o que se trata realemte é de uma questão de bom SENSO.

QUEM SOMOS NOS PAR JULGARMOS OS MORTAIS..........

Anônimo disse...

Eu concordo que o casamento hoje virou foi glamour e que o batismo na igreja católica virou foi: "Fazer para aparecer"... Porque muitos que sao padrinhos nem sabem o significado de serem padrinhos; nao tem conhecimento do espiritual acham que é só dar presentes e fazer papel de babá para os pais e se esquecem da verdadeira vocação que é ensinar a criança no caminho de DEUS... O que as vezes acaba sendo um erro pois ao invés de ensinarem o certo ainda ensinam ou apoiam a criança em condutas erradas! Uma vez que com todo respeito ao catolicismo,o batismo na criança e desnecessário ja que elas nao possuem pecados...mais quando maiores deveriam sim ser imersas em águas como JESUS fez; e responder pelos seus atos desde que na criaçao lhe ensinaram o certo e por seu livre arbitro ela escolher seu caminho! O casamento ja não é mais significativo...só é visto como festa,vestido,convidados e taxas o que realmente nos prova que o fim esta perto! Só queria dizer que la em cima DEUS não fará distinções de religioes,ben raça,nem cor.. seremos sim todos iguais e IRMÃOS... Entao as pessoas deveriam abrir a cabeça sim para palavra e largar mao de ficar brigando por coisas tao mesquinhas! A PAZ A TODOS!!!!
FIQUEM COM DEUS!

Mich Mach disse...

Ola
Gostaria de saber se meus pais poderiam ser os padrinhos do meu filho na hora do batismo

Obrigada

Anônimo disse...

Sou mãe de 1 menino de 4 anos de um primeiro relacionamento e tenho 1 menina de 1 ano de segundo relacionamento, no primeiro relacionamento não me casei, engravidei do namorado, no segundo filho eu me casei antes do nascimento porém grávida e só no civil. Pois bem, convidei meu atual marido para ser o padrinho do meu primeiro filho e minha mãe para ser madrinha, fomos a igreja, fizemos o curso e no dia do batizado a mãe do meu marido disse que ele não poderia ser o padrinho pois ele viraria meu cumpadre e isso era pecado, resultado: a criança não foi batizada. Separei-me do meu marido que se negou a batizar meu filho pois pra mim isso foi preconceito e ainda por cima desconvidei meus ex-sogros de serem os padrinhos da minha menina de 1 ano que eu já tinha convidado porque fiquei com raiva deles, pergunta: Nesse caso eles exageraram ou realmente não pode frente as leis do batismo? Eu não tenho mais nenhum homem que possa ser o padrinho do meu filho pois meu irmão é Pastor de uma igreja evangélica, meu pai é falecido e meu tio não aceitou o convite...estou chocada com a situação e se puderem me ajudar eu agradeço...

Lili disse...

Olá, fui convidada para ser madrinha, casei na igreja, me divorciei e hj vivo com meu atual marido, como tenho motivos suficientes para fazer um anulação do casamento na Igreja, fui até lá, infelizmente se todos acham caro para casar, então para anular é praticamente um desfalque, na época o padre disse que custaria mai de cinco mil reais, pois essa anulação deve ser assinada pelo PAPA, resultado: desisti. Eu e meu marido vivemos pela igreja, sou catequista e coodenadora dos grupos bíblicos de reflexão da minha comunidade, observo que as leis da igreja querem seguir muitas regras escritas em papeis, onde alguém as inventou e achou que era certo, Jesus acolheu a prostituta que iria ser apedrejada pelos homens q escrevem leis, e assim continua nos dias de hoje, só que agora não temos Ele conosco, que Deus ilumine o coração e a mente dos governantes da Igreja para que não cometam erros de não aceitar padrinhos que realmente vão encaminhar seus afilhados para igreja!

Borboleta disse...

Fui criada na Igreja católica, estudei em colégio de freiras e acho um absurdo estas regras todas. Segundo a Igreja, uma pessoa que esta em uma União estável esta em pecado; então por isso temos que punir as crianças não permitindo que elas recebam o sacramento do batismo por causa de um "erro" dos pais. Tudo bem concordo que o que Deus uniu o Homem não separa, mas sei de dois casos em que o casal os casais fervorosamente católicos não conseguiam consumar o casamento, digo no aspecto carnal. Me diga a Igreja católica: - Então Deus não uniu esses dois casais? Uma vez que também não eram casos de patologias fisiológicas! E com isso a Igreja ao invés de angariar ovelhas as esta espantando. Desta feita outras denominações religiosas vão pescam essas ovelhas desgarradas.O Vaticano deveria rever esses conceitos e ver que muitas atrocidades foram feitas em nome da Igreja tanto que o Magnânimo João Paulo Segundo pediu perdão à humanidade em virtude de acontecimentos passados.

Anônimo disse...

Alessandra, não se paga por um sacrameto. Há taxas nestas ocasiões como um mecanismo de sustentação da Igreja e do presbítero que, como todo mundo, depende disso para sobreviver. Não sei onde fica sua paróquia. Em minha diocese (sobral-CE) a contribuição que se dá na ocasião de um casamento é de apenas 100 reais. E quando a pessoa não pode contribuir a Igreja dispensa esse valor. Acredito que 1.000,00 não é referente à taxa do sacramento, mas de tudo aquilo que vai ser gasto com a solenidade da cerimônia, tais como: energia de filmagens, ornamentações, grupos de canto, etc. Veja bem: estes aparatos não são constitutivos de um casamento. A ordem normal das coisas é a seguinte: Quer luxar? Então paga-se por isto! E paga-se porque? Por que todos esses aparatos são comprados normalmente como em qualquer instiuição ou casa. Espero ter ajudado!

Anônimo disse...

oi sou Alessandra jaborandi sp....
Eu fostaria de saber se é pecacado o próprio pai batizar o filho sem saber, e com sua atual esposa........
mais hoje me sinto muito mal po todo isso,na epoca não contei nada eles pediram para batizar ele,mais não saber o que falar, e ainda eu era nova.....mais me arrependo de td isso......
mais hoje meu filho está dando muito trabalho já procurei ajuda de td lado, mais ele não tem parada e muito agitado...
entaõ eu queria saber se é pecado e tem como eu desfazer esse batismo.....po favor me responda

Anônimo disse...

Gostaria de saber se pode ter 2 Padrinhos homens e ñ 1 casal para batismo?Grata

Anônimo disse...

Concordo com alguns comentários que vi.. nao em tudo. Acho que os padrinhos devem ser católicos, para que ajudem a formar a criança na igreja, agora quanto aos pais, algumas paróquias exigem que sejam casados, o que é realmente fora do normal!! porque, o que importa de que tipo de relacionamento vem a crianca? contanto que os pais ou um dos pais ou o responsável queira educar a crianca perante a Igreja, nao acho que seja certo colocarem empecilhos!!! e se o casal for formado por um catolico e um de outra religiao? a crianca vai ter que - forcosamente - ser de outra religiao ou nao ter religiao porque os pais nao sao casados na igreja? que culpa a criança tem do que aconteceu ou acontece com os pais? ela deve ter a liberdade de ser da Igreja independentemente de tudo!!!

ELISABETE AGUIAR disse...

EU E MEU MARIDO SOMOS CASADOS HÁ 27 ANOS E RECENTEMENTE FOMOS HONRADOS COM O CONVITE PARA BATIZAR A FILHA DE MEU SOBRINHO. FIZEMOS O CURSO AQUI NA MINHA PARÓQUIA EM PIRACICABA, PORÉM NÃO FOMOS ACEITOS NA PARÓQUIA ONDE A CRIANÇA SERÁ BATIZADA, EM SÃO JOSÉ DOS CAMPOS, POR NÃO SERMOS CASADOS NA IGREJA, POIS MEU MARIDO JÁ O FOI. FIQUEI TRISTÍSSIMA, POIS SEI QUE NÃO FOMOS CONVIDADOS ALEATORIAMENTE. TEMOS DOIS FILHOS MARAVILHOSOS E UMA VIDA EM FAMÍLIA MUITO FELIZ, EXATAMENTE COMO JESUS GOSTARIA QUE FOSSE, PENSO EU. A MÃE DA CRIANÇA DISSE QUE PODEREMOS SER PADRINHOS DE APRESENTAÇÃO E QUE PARA PADRINHO ELA PODE ARRUMAR UMA OUTRA PESSOA SÓ PARA SEGURAR A CRIANÇA NA HORA DO BATISMO. ENTÃO, CADA PARÓQUIA FAZ O QUE QUER. E DEIXO AQUI ALGO PARA SE PENSAR E QUE SE LEVADO EM CONSIDERAÇÃO TRARIA MAIS PAZ A TODOS: COMO DISSE O POETA "O QUE VALE MAIS? O LIVRO OU A SABEDORIA?" NA MINHA OPINIÃO, VALE MUITO MAIS TER UMA VIDA DIGNA DO QUE UM TÍTULO!

Anônimo disse...

Fui covidada para ser madrinha de batismo, tenho uma filha e namoro com o pai dela...porém naum moro junto. O padre de minha paroquia naum autorizou eu ser madrinha...e teve outros casos recentes em que ele liberou...um casal que mora junto a mulher gravida, o rapaz foi padrinho. Um casal que mora junto foi padrinho de outra criança...Mas eu ele naum quer deixar...alega que estou com o pai de minha filha ainda...se eu naum tivesse com ele poderia ser...mas os outros casos ele liberou..o que devo fazer?????

Tony Esteves disse...

Hà falta de sacerdotes, religiosos e religiosas mas pelos comentários aqui postos não faltam vocações para serem bispos ou papas.
Meus Senhores e minhas Senhoras, tenho 40 anos de casado e viverei com minha esposa até a morte nos separar.
O que os nossos Bispos e a Igreja Católica faz é para bem de todos os seus membros e não para satisfazer aqueles que se dizem católicos só no nome. Não a praticam e o pior que vejo é que aqueles/as que menos frequentam a Igreja são os que mais barulho fazem, mais complicam e que querem tudo a seu modo.
Rezem, comunguem, rezem o terço todos as noites juntos e aí haverá mais amor, mais carinho e mais paz.
Com todos os meios de informação que temos ao nosso alcance podiam informar-se mais sobre os Sacramentos.
Para os Senhores e Senhoras que só sabem criticar, ganhem juizo. Acho, pelo que se vê que os namorados deviam ter um Ph.D (Curso Universitário) para o casamento. Talvez houvesse menos separações.
De todos os que conheço ( até um da minha própria filha) são separações sem causa e que acho, por lei Canónica não poder ser anulado porque não hà justa causa.
Então quando dizem que se afastam somente porque hà certos regulamentos, estão a provar que a fé é muito pouca ou nenhuma e que tem que se mudar para os/as satisfazer.
Não nos comparem com denominações. Nós somos a Igreja Universal fundada por seu Sumo Sacerdote
Jesus Cristo.
Que Deus abençoe a todos e derrame Sua Paz

Anônimo disse...

Fui em várias igrejas católicas para conversar com padres para poder batizar meu filho, todos dizem a mesma coisa. Os padrinhos que escolhi para batizá-lo são casados somente no civil, foram batizados fizeram eucaristia e foram crismados.os padres disseram que poderiam "quebrar um galho", então se o casal não é casado na igreja, vive em pecado? e quando tiverem filhos, como será? os filhos serão condenados pelo "pecado"?
pecado é : roubar, matar, enganar... e todas as coisas ruins que se possa fazer a alguém, isso é pecar.

Anônimo disse...

Muito boa essa explicação. Sou evangélica e fui convidada para ser madrinha de uma sobrinha muito querida. Pesquisei , então, para saber sobre a importância dos padrinhos e aqui tive a resposta. Vou explicar para minha irmã e sei que ela vai entender. Obrigada

Antonio Peres Martins disse...

"A Paz de Cristo esteja com todos vocês"
A princípio quero citar que todo tipo de empresas, instituições, Estados e Nações são regidos por normas e leis. Cabe lembrar que no Antigo Testamento Deus conduzindo seu povo, deixa bem claro que para que um povo seja bem sucedido, tem que observar regras e normas. Assim a religião Católica Apostólica Romana, tem suas doutrinas e normas para ser seguida e não virar uma bagunça. Pelos comentários, vejo como é difícil entender a psicologia humana. Cada um quer que seja do seu modo e suas maneiras, ou o que lhe vem na mente, ou seguem os conselhos alheios, que nada tem a ver com as realidades. Sou Católico praticante desde criança, tenho 58 anos, confesso que nunca tive problemas na minha caminhada, pois sou atento as leis de Deus e da Igreja. Façam o mesmo e verão como não encontrarão obstáculos na vida religiosa. Cada criatura tem o seu drama, a sua aflição, a sua dificuldade e sua dor. Antes de julgar, busca entender. Compadece-te, para que a tua palavra seja uma luz de fraternidade no incentivo do bem e acima de tudo, lembra-te de que amanhã, outros olhos pousarão sobre ti, assim como agora a tua visão se demora sobre outros. Que Deus abençoe a todos.

Bruna Gazineu disse...

Boa tarde,
Estou querendo batizar meu filho mais novo no Rio de Janeiro, e estou encontrando um problema em relação aos padrinhos, na verdade gostaria de que ao invés de batizá-lo com um casal de padrinhos batizar só com duas madrinhas que são minhas primas e as duas são irmãs.
É possivel que seja realizado assim? E se for positiva a resposta onde seria mais fácil marcar?
Obrigada

Anônimo disse...

Frei Ivo em resposta ao seguinte comentário:

Anônimo disse...
Quero batizar meu filho..só que escolhi padrinhos que sao evangelicos!
Eles mudaram de religiao..antes eles eram catolicos..fizeram 1ªcomunhão..crisma..eles nao sao 'crentes fanaticos'
Entao queria saber se eles nao podem batizar meu filho numa igreja catolica..e eles ja fizeram o curso de batizado!

19 DE JUNHO DE 2011 13:17


Frei Jeâ Paulo e Frei Clauzemir respondem.

Cara amiga,batizar uma criança na Igreja é sempre uma alegria muito grande, tanto para os familiares como para seu filho. Na essência do batismo está a entrada da pessoa na comunidade dos fieis, para fazer parte da comunidade de fé. Os pais e os padrinhos têm a tarefa singular de ajudar a criança na vivência e no aprendizado da fé. Como você mencionou do desejo de convidar padrinhos evangélicos, diríamos o seguinte. A educação da criança na fé católica é um elemento básico na vida da criança, por isso a Igreja pede que os padrinhos professem a mesma fé da criança a ser batizada. No entanto a Igreja reconhece e valoriza o respeito pelas demais religiões e Igrejas cristãs. Nesse caso seria possível convidar o casal evangélico para ser testemunha do batizado, participando da celebração e da vida da criança, porém, não substituindo o papel dos padrinhos. Desejamos todo o bem para sua família e para seu filho.

Frei Jeâ e Frei Clauzemir.

Anônimo disse...

Mich Mach disse...
Ola
Gostaria de saber se meus pais poderiam ser os padrinhos do meu filho na hora do batismo

Obrigada

13 DE NOVEMBRO DE 2011 13:26

Frei Jeâ e Clauzemir respondem.

Olá Mich Mach. Somos alunos de Teologia do Frei Ivo e recentemente estudamos sobre o direito sacramental do Batismo. Não há nada no Direito Canônico que seja contrário a vontade sua de que os avós de seu filho sejam os padrinhos, uma vez que eles podem muito bem contribuir para a formação humana e cristã do neto. Desejamos à você e toda a sua família as bênçãos de Deus.

Frei Jeâ e Clauzemir.

Sónia disse...

Eu e meu marido somos casados pela igreja. Hoje fui tentar marcar o batizado da minha filha de 6 anos. Só agora porque houve muita doença, com pessoas acamadas, que acabaram por falecer (uma ainda não tinha falecido e a outra foi acamada).Um sofrimento. Depois o padrinho foi deslocado por trabalho para outro país. Agora, finalmente ia batiza-la e o padre diz que só o pode fazer no 3º ano da comunhão porque é contra a Lei de Deus???!!!!! Francamente... estou tristíssima.... que lei proíbe um inocente de 6 anos de ser batizado?

Tamir disse...

Acho muito errada esta regra, mas respeito, eu vivo com meu marido ha 3 anos a igreja que nós frequentamos desde q nascemos, fomos batizados e crismados não deu "permissão" para batizarmos uma sobrinha q tanto amamos, mas a igreja q meu irmão e cunhada frequenta sim... O q me deixa mais indignada é q a minha vizinha q tem um relacionamento com um homem q já e casado e tem filhos com a esposa legitima e filhos com ela também pôde ser madrinha de BATISMO... Agora eu lhes pergunto qual e a diferença??? Só porque ele não vive com ela, eu acho o q eles fazem é pior do que como diz a Igreja Católica Relacionamento Irregular...

Anônimo disse...

Porque algumas igrejas aceitam casais irregulares e outras não????

Anônimo disse...

Podem ser padrinhos uma pessoa casada e outra solteira?

Jessika disse...

Eu e meu marido temos os quatro sacramentos (batismo, primeira comunhão, crisma, casamento). Queremos batizar nosso filho e fiquei sabendo pela paróquia que os padrinhos teriam que ser crismados, os meus não são. Gostaria de saber se esta é uma lei posta pelo Vaticano, ou se posso recorrer. Sempre respeitei a Igreja, mas esta não era uma regra até pouco tempo. Escolhi estes padrinhos pq sei o quanto seriam importante na minha ausência, inclusive espiritualmente.

Anônimo disse...

gostaria de saber uma coisa:
se a própria igreja prega que devemos perdoar tantas vezes quanto forem necessárias ou seja, 7x 70 vezes ( isso está escrito na Bíblia). porque essa mesma igreja não perdoa 1 único erro que é o de ter se casado com a pessoa errada? as vezes as pessoas se casam muito jovens e o dia a dia desgasta o relacionamento, provocando brigas e o desrespeito entre o casal. Sou "casada" a 12 anos com uma pessoa maravilhosa, tenho 2 filhos lindos e saudáveis que pra mim são a maior benção que o Senhor poderia ter concedido a minha união, frequento a igreja toda semana, pago meu dízimo, meus filhos vão a catequese, vivo muito bem com meu marido, nós nos respeitamos e educamos nossos filhos de acordo com a Bíblia. Porém somos filhos excluídos na nossa própria casa (a Igreja), porque meu marido já foi casado na igreja e se separou devido sua ex esposa o colocar para dormir na sala e dizer sentir nojo do mesmo por ele ter cheiro de fritura e trabalhar na cozinha de um restaurante. Mesmo brigando muito ela frequentava a igreja e podia comungar... esse é o relacinamento que a Igreja quer? quero dizer, se casar na igreja estás condenado a viver pra sempre com aquela pessoa, brigando e traindo? não seria melhor perdoar pelo menos 1 vez para que todos possam ter uma segunda chance de ser feliz e contribuir para uma sociedade e uma Igreja melhor? não digo que deveria casar as pessoas na igreja todas as vezes que elas solicitarem, mas que que poderíamos ter direito ao perdão da Igreja, porque o de Deus eu tenho certeza que temos. Gostaria que alguém respondesse a primeira pergunta que fiz:
se a própria igreja prega que devemos perdoar tantas vezes quanto forem necessárias ou seja, 7x 70 vezes ( isso está escrito na Bíblia). porque essa mesma igreja não perdoa 1 único erro que é o de ter se casado com a pessoa errada?

Maryana Bueno disse...

Quantos casais podem batizar meu filho na igreja?

natalia disse...

A igreja católica deveria mudar de opinião conforme os tempos...
hoje em dia nem todos os casais tem condições financeiras de se casar na igreja,pois isso se torna muito caro e fora do alcance de algumas pessoas.
Sou amasiada,frequento a igreja e não pude batizar o meu filho,pois os padrinhos que escolhi não eram casados na igreja e só no cartório.Entendo o lado da igreja mas devemos ver que os tempos mudaram.Muitos casais casados diante de Deus podem não educar seus afilhados como seus pais esperam se caso um dia precisar!não é isso que se ensina?os padrinhos são 2° pais?é um caso a ser pensado pois a religião catolica está perdendo seus cristãos por não se atualizar.

Nivaldo Carvalho disse...

meu atual companheiro pode ser padrinho da minha filha??

Anônimo disse...

Sou batizada em um igreja catolica, porem meu pai nao lembra do nome da igreja e quando foi meu batismo. Mas fui chamada para ser madrinha e nao tenho o certidão de batismo??? Como posso recuperar este documento para dar continuidade no processo de batismo...

Anônimo disse...

Casar na igreja não é caro. Existe o casamento comunitário, existe a possibilidade de haver numa missa comum a bênção do padre. Proucure em uma livraria o Diretório da igreja Catolica e você vai ter muitas informações sobre todos os sacramentos. Se você busca o sacramento do matrimônio e não o Glamour da festa, não ha motivos pra estar ainda amasiada.

Anônimo disse...

Procure saber em que bairro você foi batizada. Va a uma igreja la e procure saber onde fica a igreja matriz daquela paroquia. Os registros ficam centralizados nela.

Anônimo disse...

Como padre tenho visto a situação de muitos casais que desejam batizar seus filhos, tendo como padrinhos pessoas não casadas no religioso. A Igreja tem normas claras e ninguém é obrigado a segui-las. Mas se quiser pertencer à verdadeira Igreja Católica deve, sim, submeter-se ao que ela pede. Há muitos lobos em pele de cordeiro dentro do presbitério, que sabem as normas da Igreja, mas as transgridem sem o menor constrangimento em nome de uma suposta teologia libertária, que exalta a misericórdia de Deus, mas esquece os pecados de omissão. Talvez poderia se perguntar a que igreja esses padres servem. Se estivessem numa empresa e agissem contra as normas das mesmas, seriam com certeza demitidos. E assim a cada dia, dentro das nossas igrejas, vemos casais irregulares sendo padrinhos de batismo e entrando na fila de comunhão. E muitos alegam que contam com a permissão do padre. O que se vê a cada dia é que mais católicos fiéis se veem sozinhos diante da omissão dos seus pastores em orientá-los corretamente. Vai chegar um tempo em que o católico fiel será taxado de bobo, por seguir o que a Igreja Católica manda. É evidente que só o padre pode orientar as pessoas sobre isso. Mas se ele mesmo não lê ou não obedece às normas da Igreja de Cristo, a responsabilidade perante Deus é dele.

Anônimo disse...

eu acho um absurdo essa frescura da igreja exigir que os padrinhos sejam casados na igreja sendo que hoje em dia os casais preferem somente amigar pois e um absurdo oque eles cobram para fazer uma cerimonia agora eu pergunto deus que isso tem padre que bebe dança nos baile e ninguém julga eles e eles podem julgar

Anônimo disse...

Pois então padre, conforme esse ultimo comentário do senhor, nesses casos onde o padre aceita padrinhos amasiados o batismo é válido? Já ouvi várias versões, a ultima igreja em que me informei o senhor que me atendeu, cujo o nome era Jesus mandou que eu fosse batizar meu filho em uma igreja onde aceitassem meu irmão e minha irmã como padrinhos (ela é casada no civil e ele divorciado), uma outra não aceita idosos como padrinhos, mesmo sendo casados na igreja, pois já estão velhos e vão morrer logo, mas outras aceitam padrinhos amasiados pois alegam que a criança não tem culpa...as regras não deviam ser iguais para todas as igrejas católicas? Quer dizer, as regras são iguais mas há padres que não as seguem?

Anônimo disse...

Eu queria saber se eu tendo um caso com a mãe de meu futuro enteado se mesmo assim eu posso ser padrinho dele de crisma?

Anônimo disse...

Os pais podem ser os padrinhos

Anônimo disse...

Anonimo.
Quanta ignorancia catolica e catequetica que alguns postaram, pois se dizem catolicos e nao conhecem os documentos da Igreja.É certo que alguns padres permitem estas discussões por nao seguirem o canone da Igreja. Sou palestrante de encontro de pais e padrinhos e primeiro coloco os impedimentosepergunto se alguem quer continuar sabendo que não poderá exercer seu apadrinhamento. Mas os sacramentos da Igreja catolica esta de há muito não sendo seguidos como devem ser.Abolir o casamento civil como postaram não é de bom,pois como ficaariam os direitos assegurados, apesar que hoje tem união estavel. Mas a leicivil permite o casamento religioso com efeitos civis, devendo os nubentes registrarem sua certidao de casamento religioso no civil no prazo de 90 dias

Isabela disse...

Eu e meu namorado, fomos chamados para ser padrinhos. E estam falando que não pode. Se eu for como "MADRINHA REPRESENTANTE" Qal o significado disso? Sou uma Madrinha também, conforme a igreja?

cicera disse...

amei muito importante saber quem pode e quem não pode,pois sou da pastoral de batismo e temos uma certa dificuldade de pessoas que não entendem os criterios agoro vou indicar esse site pra elas.obgdo